Para Dante entrevista Matheus Gabriel - Apaixonei-me pelo meu ídolo - Para Dante BlogApaixonei-me pelo meu ídolo – Para Dante Blog
Mundo Para Dante
16 de junho às 17:21
Para Dante entrevista Matheus Gabriel

“Ao invés de estar brincando com meus primos, eu ficava com o violão do meu avô mexendo, tocando, batendo, até que ele me deu um violão com 6 anos e foi assim que eu aprendi a tocar”

O mês de junho mal começou e eu trouxe um entrevistado maravilhoso pra vocês! Tenho certeza que antes mesmo de acabar aqui com a entrevista, vocês vão se encantar (ou se apaixonar hahaha) com a história, com amor pela música e… com ele, claro!

Com apenas 24 anos, e como ele mesmo disse: “ariano com ascendente em escorpião”, o cantor e compositor Matheus Gabriel, vem prospectando uma carreira sólida e regrada de muito amor e dedicação. Com a música nas veias desde bem pequeno, ele nunca negou que nasceu pra cantar o que vem do seu coração e vem mostrando isso com muita vontade ultimamente. Basta em ver na sua simplicidade o carinho que ele tem com tudo ao seu redor e a sua gratidão infinita à Deus.

Desde pequeno, Matheus já cantava e tocava, brincava com o violão do avô e foi vendo que era exatamente aquilo que fazia seu coração acelerar. Ainda pequeno, integrou o coral da igreja tocando e cantando. Muito fofo né?

Com o decorrer do tempo, ele foi se destacando em outros grupos, tocando outros instrumentos até uns 13/14 anos. Mas, era evidente que a música estava ali, evoluindo sempre. Com algumas participações em barzinhos e escrevendo algumas composições, o início de um sonho estava sendo cada vez mais claro, cada vez mais perto de se conquistar.

Além disso, ele ainda teve algumas outras profissões (que vocês vão saber mais abaixo) e dentro do tiro guerra, enquanto servia o exército, conheceu uma dupla sertaneja no qual fez uma participação no show e recebeu ainda, um convite do seu professor de violão Maicon Moreira, em um estúdio, onde as coisas começaram a acontecer.

O sonho acabou alavancando de uma forma bem inesperada, ele foi caindo de cabeça, se aperfeiçoando e até hoje busca trazer o melhor, mostrando que tudo é feito com muito amor e muito carinho.

Com 10/11 meses de carreira oficialmente, ele nos contou em um bate papo super bacana, um pouco mais da sua história. Vamos conferir? Aposto que assim como eu, vocês vão ficar presos(as) nessa trajetória.

Para Dante: O que motivou o seu amor pela música?

Matheus: O meu amor surgiu desde pequeno sabe? Um 4/5 anos de idade, meu pai me colocava pra ouvir música e eu já começava a dançar e pular e eu tinha meus gostos musicais desde pequeno, eu gostava muito de Michael Jackson, Queen e eu sempre escutava muita música pop/rock internacional, então desde pequeno eu me alimentava de música.

Para Dante: A música sempre esteve dentro de você ou foi algo que você acabou descobrindo com o tempo?

Matheus: Sempre esteve dentro de mim! Com 6 anos de idade eu comecei tocar violão, quando eu ia pro sítio do meu avô, ao invés de estar brincando com meus primos, eu ficava com o violão do meu avô mexendo, tocando, batendo, até que ele me deu um violão com 6 anos e foi assim que eu aprendi a tocar

Para Dante: Você já se imaginou realizando (ou já realizou) outras atividades distantes do ramo musical profissionalmente? Qual (is)?

Matheus: Eu já trabalhei em várias coisas antes da música: já entreguei panfleto, já assei espetinho, já trabalhei em fábrica de joia, já trabalhei em concessionária de carro, fui motorista da Nissan, depois fui pro marketing da Nissan… Então antes de cantar, eu já trabalhei com tudo isso, inclusive, sou formado em Engenharia Civil.

Para Dante: Você se vê cantando em outro estilo que não seja esse atual?

Matheus: Eu acredito que não existe um estilo em si, a música é grande né? É um leque, não existe na verdade um só gênero. Assim, o meu gênero é sertanejo mas não totalmente, com certeza vai ter MUITA influência de pop/rock nas minhas músicas, quando eu gravar meu primeiro EP, vai ter muita coisa minha sabe? Tipo Michael Jackson, Elvis, Queen, muito disso vai ter, nem que seja uma pitadinha, mas vai ter.

Para Dante: Você acha que um artista precisa ter algum destaque essencial para ganhar espaço?

Matheus: Eu acredito que o artista tem que ser autêntico sabe? A gente pode se inspirar em outras pessoas mas temos que mostrar a nossa marca, nossa identidade e isso eu acho que é o diferencial, o destaque, cada pessoa tem seu jeito, cada pessoa tem o seu gênero e eu acho que isso é o essencial. O cantar não é apenas cantar, sabe? É uma maneira de se expressar, então é um leque muito grande sabe?

Para Dante: Quais as maiores dificuldades que você já encontrou ao longo dessa caminhada?

Matheus: As dificuldades que eu encontrei foram várias, várias e várias… Eu acho que a desmotivação foi a maior delas… Pessoas que nos colocam pra baixo, nos passam pra trás, empresários que desmerecem nossa carreira. Eu tive dois empresários no decorrer do tempo, que foram pessoas que não agregaram em nada e meio que me atrasaram em meu projeto sabe? Eu acho que a gente encontra muito isso.

Para Dante: A maioria dos artistas possui outros como inspiração. No seu caso, qual (is) deles se tornaram referência para você?

Matheus: Eu tenho 4 artistas que são pessoas que eu consumo música diariamente e eu sou fã deles a ponto de fazer tatuagem tá? (risos) Eu sou muito fã! Tenho quadro no meu quarto, sei a discografia, a biografia… É o Michael Jackson, Fred Mercury da banda Queen, Elvis Presley e o Bruno Mars. São 4 artistas que eu tenho como inspiração, sempre escuto/vejo alguma coisa deles, me inspiram demais. No Brasil eu sou muito fã do Luan Santana e do Gusttavo Lima, os dois pra mim são minha referência na música brasileira.

Para Dante: As suas composições transmitem, em parte, os seus sentimentos, vivências e/ou fatos que você presencia? Qual delas representa algo bem marcante pra você?

Matheus: Minhas composições, a maioria delas, antes de começar a escrever músicas comerciais, pro mercado sertanejo, eu escrevia muitas coisas que eu vivenciei, falavam muito de amor, tinham haver com minha ex namorada, algumas falam de família, sempre tiveram algo muito particular meu. Agora, escrevendo músicas pro mercado a gente já não foca mais nisso, a gente pega um tema, já começa abranger as composições em cima disso.

Para Dante: Qual o estilo que você mais se identifica?

Matheus: O estilo que eu mais me identifico é o sertanejo (no Brasil) que é o meu gênero musical, que eu gosto… Mas, eu escuto de tudo, independentemente de ser funk, rock, sertanejo… Se bateu na mesa e fez barulho, já é música. Eu não me limito em gêneros.

Para Dante: O que você sente quando está em cima dos palcos?

Matheus: Eu me sinto realizado! Eu acho que é o único momento que a gente esquece todos os problemas, me arrepia… É incrível, eu não sei explicar, é como se você aquilo que você mais ama, você está fazendo naquele exato momento. Antes do show sempre tem aquela correria, bate um nervosismo, o produtor briga com a gente (risos), mas essa correria sempre vale a pena. É borboleta no estômago, é fora do comum, surreal.

Para Dante: Se você pudesse realizar um sonho nesse momento, qual seria?

Matheus: O meu maior sonho hoje é que o corona vá embora e a gente possa voltar a cantar (risos) não aguento mais! Mas, na verdade o meu maior sonho é poder ajudar minha família, poder ajudar os meus pais, ajudar as pessoas que estão ao meu redor e poder viver da música sem preocupação.

Para Dante: Tem algum artista que você queria muito cantar ou compor junto com ele? Caso sim, o que te faz se inspirar nesse artista?

Matheus: Tem sim! Queria muito conhecer o Luan Santana e o GL, queria muito conhecer os dois e poder compor com eles.

Gente como a gente né? Quem afinal não queria conhecer um dos dois? Vocês também ficaram ansiosos por um encontro desses três?

Para Dante: Qual foi o momento mais marcante que você já viveu com a sua carreira?

Matheus: Tive vários momentos incríveis, eu pude conhecer vários artistas… Mas os mais marcantes foram os momentos em que as portas se fecharam, as dificuldades sabe? Um dos mais tensos foi de um cara que eu conheci, ele seria meu suposto empresário, virou pra mim e disse que eu não sabia cantar, que eu era ruim, que não servia pra música e não era um bom artista. Mas foi o momento que mais me fez ver que eu seria capaz e eu vi que podia ir e provar pra ele que eu conseguia sim.

Para Dante: Vimos que você fez uma live recentemente para ajudar o Hospital de Base de Rio Preto. Como surgiu essa ideia? Como foi essa experiência?

Matheus: Sobre a live, a princípio não iriamos fazer, estava tendo uma onda de lives e parecia meio que era uma competição sabe? Só que a gente viu a necessidade do HB de Rio Preto, precisa de arrecadações, então eu sentei com meus produtores e então conversamos sobre a ideia. Nós tivemos muitos problemas com a estrutura do lugar, tudo de última hora mas no fim deu tudo  certo e conseguimos ajudar essa instituição.

Para conferir essa live incrível e cheia de amor, basta clicar aqui.

Para Dante: Sua primeira música de trabalho foi a canção Bom Negócio. Por que você a escolheu para dar este passo inicial?

Matheus: A música Bom Negócio eu já conheço tem bastante tempo, conheço ela um ano antes de gravar. A música é uma composição do Theo e Luan e do Michel Alves, aqui de SP. É uma música que eu gosto muito, a letra é linda. Eu a escolhi pelo carinho que eu tinha, mas demorou um ano para que eu de fato conseguisse pegar ela com o Theo, ele iria gravar a mesma no projeto do DVD deles mas de tanto eu encher o saco eu consegui gravar (risos). Ela iria a princípio, ser gravada com outro estilo, mas devido a produtora que eu estava, eles optaram por fazê-la em ritmo bachata, mas, pretendemos regrava-la. Estamos com um projeto de grava-la em um EP, que irá conter 5 músicas, 4 inéditas e a regravação de Bom Negócio, com outra versão e… eu amo essa música!

Para ouvir “Bom Negócio” basta clicar aqui.

Para Dante: Você tem a previsão ou o desejo de fazer uma próxima live? Apoiando o mesmo hospital ou outra instituição?

Matheus: Então, estávamos discutindo sobre isso, temos a vontade de fazer mas não sabemos se ainda de fato vai ter, é complicado por conta de estrutura mas se fizermos vai ser pra ajudar alguma instituição daqui de Rio Preto.

Para Dante: Como é sua relação com a galera que acompanha o seu trabalho?

Matheus: Eu sou bem aberto, converso com todo mundo, confesso que eu demoro pra responder as vezes, tem a correria, fazendo várias coisas. Inclusive tem o meu fã clube, as meninas do Central MG, eu estou sempre conversando com elas, nem sempre é todo dia mas estamos sempre junto. Ah, cara eu amo pessoas, amo ser humano, eu amo o que eu faço, por isso eu acho que Deus me deu esse dom, que tudo está dando certo, acho que também é por causa disso.

Para Dante: Como você enxerga sua carreira daqui uns 5 anos? Onde ou como você deseja estar?

Matheus: Daqui uns 5 anos, eu quero ter no mínimo uns 3 DVDs gravados (risos) e que no mínimo eu tenha músicas que sejam lançadas no Brasil inteiro… Parece longe né? Mas nem é tanto assim.

Para Dante: Se você pudesse dar um conselho para cantores ou compositores que estão querendo ingressar na carreira, qual seria?

Matheus: Nunca desistam dos seus sonhos, nunca, jamais! A música é pra todo mundo. Todo mundo pode cantar, tocar, compor… O que vai ser o seu diferencial é a sua força de vontade, de correr atrás, de saber se aprimorar, de fazer o melhor. Quando você se doa, você consegue ser melhor pra si mesmo. Você precisa acreditar em sonhos, ninguém vai fazer nada por você, então você precisa correr atrás.

Para Dante: O que seus fãs podem esperar daqui pra frente?

Matheus: Eles podem esperar coisas bem diferentes, eu gosto de inovar, surpreender. O segredo da música é esse, é inovar, fazer algo novo, sair do comum… Pra alcançar os objetivos e fazer nossa história.

No último dia 14, Matheus participou de uma live super bacana com a galera do portal Spies Santana e teve um bate papo pra lá de legal com a integrante Nath! Olhem que fofos o print do comecinho da live:

Teve MUITA música boa, muito Luan Santana e também teve muita simpatia esbanjada pelo nosso entrevistado. Demais, né?

Encerramos por aqui essa entrevista maravilhosa com esse menino incrível e super gentil! Matheus, em nome do Para Dante, desejo a você um sucesso enorme, que você cresça cada vez mais e alcance seus objetivos cada vez mais! Eu simplesmente AMO pessoas como você, que sonham, que vivem ao extremo com o coração e que não tem medo de viver. Estaremos sempre de portas abertas para você voltar quando quiser e tenha certeza que você ganhou mais uma fã, tenho certeza que é só o começo dos seus sonhos!

Não deixem de acompanhá-lo nas redes sociais, de seguir os passos desse artista promissor que vocês vão ouvir e MUITO o nome dele por aí. Comecem dando uma olhadinha lá no instagram: @matheusgabrel

E claro, eu não poderia deixar de agradecer, a ajudinha especial que eu tive da nossa seguidora Amanda Ingrid, que intermediou nosso contato e me ajudou construir essa matéria incrível! Você é demais Mandi!

Um beijo e até a próxima!

Larissa Santos

Compartilhe:  
Batalha de Ídolos
Instagram